quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Solteira (o) em São Paulo

Para alguns, é sinônimo de desespero. Para outros, de liberdade (?). Vou explicar. É incrível como algumas pessoas ficam inquietas após o término de um namoro. Entendo que para cada relacionamento exista uma particularidade que também influencia quando tudo acaba. Dependendo dos motivos e da situação, a parte que mais sofre não vai querer ficar em casa lamentando o que passou e chorando sobre as fotos, as cartas e as canções que fazem lembrar o amor que se foi.

E ai está o problema. Aonde ir? Existem milhares de publicações que dizem “Os melhores lugares em São Paulo para encontrar pessoas solteiras e interessantes”. E quem disse que nós, solteiros, ou recém-solteiros, sabemos aonde ir? Aonde encontraremos alguém interessante? Nós só queremos esquecer o que passou e lembrar-se de quanto podemos ser felizes, sozinhos. E isso pode acontecer em qualquer bar da Vila Madalena, no meio do Itaim Bibi ou no bar do Zé no Tatuapé.

Quer saber quando a situação fica mais complexa? Quando você começa a achar que está no lugar errado. Segundo algumas revistas, se um intelectual quer arrumar alguém interessante, ele deve ir a uma livraria. Se você gosta de pessoas com um corpo bonito, matricule-se na Bio Ritmo da Avenida Santo Amaro. Quer um homem na casa dos 30, barbudo e que goste de rock? Vá ao Stones Music Bar ou ao O’Malley’s. E se eu quiser um intelectual, forte, que tenha barba e goste de “have you ever seen the rain”? Aonde eu devo ir?

Ser um solteiro em São Paulo é realmente uma aventura. É ver alguém atravessando um bar inteiro só para vir te conhecer e achar a atitude, no mínino, bacana. É encontrar alguém do trabalho, em um lugar inusitado, e perceber que essa pessoa é mais interessante do que você imaginava. É se dar conta de que não só os casais vão ao cinema às quartas-feiras. Os solteiros também vão. E sozinhos. E só eles sabem o quanto isso é uma delícia! Quando se é solteiro, não é regra sair de balada com amigos e amigas, transar com quem bem entender e sempre estar aberta e disponível a conhecer alguém. Vale ficar sozinho e curtir a vida do jeito que melhor lhe parecer!

Ser solteiro é muito diferente de estar solteiro. A solteirice é muito mais do que um estado físico, é um estado de espírito. É necessario que se esteja livre, leve, feliz, independente e seguro de sua situação.

A verdade é que, nós aqui, não faremos uma lista de lugares onde ir, caso queira encontrar um partidão. Não indicaremos lugares, como fazem algumas revistas ou sites:
‘’Para encontrar um intelectual:

- Livraria Cultura no Cinjunto Nacional
- Centro Cultural Vergueiro
- MASP, MAM, OCA etc etc etc’’

Para encontrar alguém legal, o (a) solteiro (a) deve estar bem com ele mesmo, estar seguro, estar feliz. Dessa maneira, no Ibirapuera, suando e correndo, ou no teatro, cinema, o bem estar vai transparecer e, com certeza, a tal pessoa interessante daquele artigo da revista vai te encontrar... E quem sabe o título de Sr. Sra. Solteiro(a) vai dar lugar a algum outro título... Ou não!

4 comentários:

Marcelo Mayer disse...

em qualquer lugar vc encontra alguem interessante. ate nos puteiros da augusta.
e que todos parem de achar que tal pesoa é a metade que falta. ninguem deve completar ninguem. ninguem deve ter essa responsabilidade. todos devem se sentir completos!

Plínio Freitas disse...

Parabéns pelo blog!

Hera Venenosa disse...

"E se eu quiser um intelectual, forte, que tenha barba e goste de “have you ever seen the rain”? Aonde eu devo ir?" - ADOREI!!

Mas acho que seria mais fácil se vendessem em loja com manual de instruções e com direito aos acessórios opcionais! rs..

Nigredos disse...

Hj em dia as pessoas estão acomodadas em suas casas, tem preguiça até de ir a padaria, então fica dificil encontrar pessoas. Acho uma boa opção listar lugares interessantes. até mesmo pq hj em dia não da para sair para todo e qualquer lugar.